Um grupo de bombeiros se reuniram em frente ao Ministério Público de Pernambuco (MPPE), na Rua do Imperador, região central do Recife, durante a manhã desta terça-feira (9). Eles protocolaram formalmente a entrega de uma série de solicitações, em nome da Associação dos Bombeiros Militares de Pernambuco.

De acordo com o presidente da associação, cabo Ricardo Medeiros, as principais reivindicações incluem, além da realização de concurso público e do correto repasse de verbas para a corporação, o cumprimento de uma ordem judicial. “Em 2010, após um concurso para sargento, vários soldados foram promovidos. Mas antes de ser sargento, é preciso ser cabo. E por conta disso, 212 cabos deixaram de ser promovidos”, explicou. Ainda segundo ele, existe uma decisão judicial que manda ‘despromover’ os sargentos — no entanto, a medida não estaria sendo cumprida.

Outra reivindicação dos bombeiros é o repasse de verbas. Segundo o cabo Ricardo, o Estado estaria desviando dinheiro das taxas pagas ao Detran — cujo valor deveria ser repassado para alguns órgãos, dentre eles, o Corpo de Bombeiros. “Existe um convênio com o Detran, com a Secrearia de Administração, a Secretaria de Defesa Social e o Corpo de Bombeiros. Mas só a SDS está recebendo”, reclamou. O presidente comentou ainda que a corporação tem déficit de pessoal e que uma das reivindicações do grupo é a realização de concurso público. “O último concurso foi em 2010”, destacou.

Por meio de nota, a Secretaria de Defesa Social (SDS) do Estado informou que as taxas arrecadadas são repassadas para a corporação, destacando que “o procedimento está de acordo com a lei de Diretrizes Orçamentárias – LDO do Estado, em seu artigo 14, que estabelece que os órgãos da Administração Direta do Poder Executivo que contarem com recursos diretamente arrecadados (RDA) destinarão, no mínimo, 50% (cinquenta por cento) do produto da receita desses recursos ao seu custeio administrativo e operacional, inclusive aos compromissos com a folha de pagamento de pessoal e encargos sociais, ressalvados os casos em contrário, legalmente previstos”.

A SDS esclareceu também que “quanto à promoção de sargentos no Corpo de Bombeiros Militar, não procede a alegação dos candidatos, uma vez que todos os que realizaram o Curso de Formação foram promovidos. E os que não foram promovidos são candidatos sub judice, os quais nas decisões judiciais o juiz do feito determinou que o candidato realizasse apenas e curso e não determinou a promoção”. Segundo a Secretaria, desde 2010, 698 praças foram promovidos à patente de sargento no Corpo de Bombeiros.

FONTE: http://adeilton9599.blogspot.com.br/2015/08/do-cabo-ricardo-presidente-da.html?m=1