Policiais arregaçam as mangas e constroem casa para mãe e filhos em Itapissuma

Policiais arregaçam as mangas e constroem casa para mãe e filhos em Itapissuma

Barraco de madeira coberto por plásticos deu lugar a uma casa em alvenaria de dois quartos, sala, cozinha e banheiro

 

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 29/12/2015 09:28 Atualizado em: 29/12/2015 17:24

 

Nove policiais do 17º Batalhão da Polícia Militar, que atuam na área Norte da Região Metropolitana Norte, realizaram o sonho de uma família em busca de uma vida digna. No dia 23 de dezembro, eles entregaram uma casa construída para Laudice França Melo, de 53 anos e seus dois filhos. O barraco de madeira, coberto por plásticos, onde eles viviam na Primeira Travessa da Rua Elízio Pessoa, Cidade da Criança, Itapissuma, deu lugar a uma casa em alvenaria de dois quartos, sala, cozinha e banheiro.

O primeiro contato com a família foi feito há quatro anos pela cabo Flávia Ventura, durante uma ação do programa Polícia Amiga. Com o objetivo de livrar crianças e adolescentes do ingresso na criminalidade, o projeto visita escolas nas periferias das cidades e encontrou dois irmãos, na época com cerca de oito e nove anos de idade, com um comportamento inadequado. A policial se interessou em saber mais sobre a realidade de vida dos garotos e se deparou com uma família vivendo em condições precárias, praticamente ao relento, em um segundo barraco de madeira erguido depois da chuva levar a primeira moradia. Sem saneamento básico, faziam as necessidades em uma bacia sanitária instalada com uma fossa improvisada.

Família morava há anos neste barraco de madeira, coberto por plásticos. Foto: cabo Adriana Ventura/ Cortesia
Família morava há anos neste barraco de madeira, coberto por plásticos. Foto: cabo Adriana Ventura/ Cortesia

Desde então, a PM reuniu colegas do batalhão para ajudar com doações de cestas básicas, roupas, mas não era suficiente. Há um ano, a irmã da cabo Flávia, a também cabo da PM Adriana Ventura, voltou ao local e encontrou as mesmas condições sub-humanas. Desta vez, a meta seria outra: construir uma casa para mãe e filhos. “Tiramos fotos e fizemos um cartaz que foi exibido na sede do batalhão e levado para outros batalhões. Abrimos uma conta para arrecadar doações em dinheiro, mas não foi o bastante. Decidimos ir a campo, pedir o apoio de amigos e comerciantes locais, de onde veio a maior ajuda. Um armazém doava tijolos, o outro cimento, o outro telhas”, lembra Flávia.

A mão de obra, também solidária, deixou a obra inconcluída e três policiais decidiram pôr a mão na massa para entregar a casa completa. Os  nomes desses heróis: cabo Flávia Ventur, cabo Adriana, soldado Alberto, soldado Miriam, cabo Joel Barros, cabo Davi, cabo Flávia, cabo Pedro, cabo Paschoal e cabo Ronaldo. Todos comemoram a mudança de vida de uma família. As crianças continuam estudando e o mais velho ajuda nas despesas da casa atuando em uma banca de frutas na feira local.

 

FONTE: http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/vida-urbana/2015/12/29/interna_vidaurbana,618691/pm-casa.shtml

 

Fechar Menu